Concerto de Luis Pastor proibido em Madrid

Vivemos realmente um tempo novo, enquanto à esquerda o PSOE e o Podemos aparentam não conseguir entender-se para constituir um governo progressista em Espanha, em Madrid o Partido Popular (centro-direita) chegou a acordo com o Cidadãos (direita liberal) e com o Vox (extrema-direita) não só para governarem, mas também para matar a sua nostalgia de outros tempos e proibir o concerto de Luis Pastor, cantautor de esquerda perseguido pelo franquismo.

Luis Pastor, que já actuou em Portugal a convite da Fundação Saramago, tinha concerto agendado com o seu filho Pedro Pastor nas Festas de Aravaca, em Madrid, para a dia 8 de Setembro. O músico reagiu à proibição da sua actuação por parte da Câmara Municipal de Madrid afirmando que em Espanha a direita ainda “se assusta com a arte, a consciência, a alegria, a colectividade e a liberdade”, acrescentando ainda que em democracia “não há desculpas nem direito a proibir ou censurar um concerto só porque politicamente não nos agrada o que esse concerto promove”.

Entretanto a presidente da câmara de Barcelona, Ada Colau, já convidou o músico para tocar nas Festas da Mercè, o anúncio foi postado no Twitter da autarca, onde esta avisou também que “uma sociedade democrática só é possível com uma cultura livre, crítica e sem amordaças”.

**

Flávio Gonçalves

Leave a Reply

Your email address will not be published.